• Water Production Connections

Cartão postal do campo: Fogo

Por Cassie Sevigny

A fumaça sobre Ouro Preto do Oeste tornou o céu vermelho ao pôr do sol. Crédito: Cassie Sevigny

O projeto Conexões entre Água e Produção Rural (CAP) investiga se e quais agricultores adaptam seus sistemas de produção quando experimentam variabilidade hídrica, quais adaptações eles fazem e se essas adaptações reduzem as perdas de renda quando ocorrem secas. A melhor compreensão desses feedbacks informará os esforços das agências governamentais e da sociedade civil para ajudar os agricultores a responder à escassez de água. Eu acompanhei a economista Katrina Mullan ao Brasil enquanto fazia meu mestrado em Economia.


Dirigindo nas rodovias ao redor de Ouro Preto do Oeste, notei uma movimentação de nuvens de fumaça branca vindo das estradas. Era a estação seca, então fiquei surpresa. Em Montana, apenas pequenas queimadas controladas são permitidas quando está quente e seco, para evitar grandes incêndios florestais. Um dos supervisores do CAP, Geovanni, me disse que o governo queima as margens das estradas para fins de “embelezamento”. Provavelmente, isso se refere a um paisagismo controlado e linhas limpas, melhorando também as linhas de visão dos motoristas. Pessoalmente, acho as exuberantes plantas verdes mais bonitas. Mas eu sou alguém que gosta de jardins altos e ervas daninhas.


O fogo também tem outras finalidades em Rondônia. Os agricultores podem queimar suas terras na tentativa de melhorar o solo. Uma agricultora local, Kassia Freire, disse que isso não funciona. O solo é empoeirado na estação seca, especialmente em estradas rurais não pavimentadas. Ela diz que queimar a terra mata o solo e faz mais poeira. Além de ser irritante, a poeira pode causar problemas respiratórios nas pessoas. Kassia queixou-se de que muitas pessoas sofrendo de infecções respiratórias. Isso torna o incêndio um perigo para a saúde, além dos efeitos da fumaça com os quais os habitantes de Montana estão familiarizados. Solo seco e empoeirado é mais fácil para a chuva e as inundações lavarem também.


Conforme o mundo aprendeu em 2019, os agricultores também podem usar o fogo para limpar a floresta e expandir suas terras. Queimar mais de 50% de suas propriedades é ilegal, e o governo pode rastrear o desmatamento com imagens de satélite. Às vezes, as quantidades que os agricultores eliminam são seções pequenas o suficiente para que os satélites não possam detectá-las. Embora seja um problema menor em Rondônia, incêndios descontrolados podem queimar prédios e campos e destruir florestas que ninguém pretendia limpar.


Ver isso de uma perspectiva econômica humaniza a questão para mim. Assim como as pessoas em todos os lugares, os agricultores de Rondônia querem sustentar suas famílias. Isso não significa que os agricultores não se importam com o meio ambiente. Uma lente econômica considera as maneiras como as pessoas interagem com as compensações, especialmente aquelas difíceis como escolher entre priorizar a conservação da floresta ou a produtividade agrícola. A chance de entender melhor essas situações é parte do que me atraiu para o projeto. A equipe se preocupa apaixonadamente em ajudar as pessoas e compartilhar o que aprendemos.


Follow us on social media:      Instagram      Facebook      Twitter

  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter

Connections between Water and Rural Production: Sociohydrological Systems on a Tropical Forest Frontier

Project funded by the National Science Foundation: CNH-L #1825046

A collaboration between:

© 2019 by Salisbury University. Proudly created with Wix.com |  Terms of Use  |   Privacy Policy