4

SUBPROJETO

Estimativa Dos Resultados Agregados Das Respostas de produção dos Agricultores

Nós construiremos um modelo baseado em agentes (Inglês, ABM) de domicílios agrícolas respondendo a sinais políticos, de mercado e ambientais para examinar como a evolução dos sistemas de produção agrícola na fronteira da floresta tropical torna os agricultores e a economia regional mais ou menos vulneráveis ​​a mudanças na disponibilidade de água verde e azul. Nossa hipótese é que incluir interações entre os agricultores melhora as previsões de modelos em escala de paisagem.

Dados

Nosso estudo irá modelar os produtores rurais como limitados racionalmente, descontadores do futuro e maximizadores de utilidade esperada que escolhem portfólios de uso do solo e investimentos. Os coeficientes de utilidade dos produtores rurais entre os elementos desse portfólio (incluindo mão-de-obra e outros insumos agrícolas) serão estimados a partir de experimentos de escolha discretos. Experimentos de campo controlados também fornecerão outros parâmetros-chave preferenciais, conforme identificados nos grupos focais.

Métodos e Atividades

Considera-se que os agregados familiares agrícolas funcionam de forma independente, mas, somados, influenciam o fluxo de águas superficiais e do solo, os mercados de commodities e a tomada de decisões dos seus pares. Os produtores rurais interagem indiretamente uns com os outros, tomando decisões em resposta à disponibilidade de água, preços de mercado e estrutura, e considerando o que seus pares fizeram. O Subprojeto 4 está focado em determinar se incluir interações entre grupos de produtores melhora as previsões de modelos em escala de paisagem. Nossa pesquisa anterior na região sugere que decisões individuais de produtores rurais sobre desmatamento a montante impactam a produtividade da produção de leite a jusante. Nossas análises no Subprojeto 3 irão identificar as influências mais significativas na adoção de novos sistemas de produção, incluindo medidas de disponibilidade de água afetadas por mudanças no uso e cobertura do solo, acesso a mercados e competitividade, e as decisões de outros produtores rurais em redes sociais formais e informais.

Nós vamos operacionalizar a vulnerabilidade no ABM como a razão de i) o coeficiente de variação na utilidade realizada para ii) os coeficientes de variação em diferentes dimensões do hidroclima, incluindo precipitação, umidade do solo e fluxo de base de córregos. Similarmente, operacionalizamos o conceito de capacidade adaptativa como a razão de i) diferença entre a utilidade realizada sob o portfólio atual e a utilidade hipotética no mesmo período de tempo sob os portfólios anteriores (se tiverem sido mantidos), e ii) os custos associados à movimentação desses portfólios anteriores para o portfólio atual. Esses resultados-chave de vulnerabilidade e capacidade adaptativa são medidas relativas que nos permitirão comparar as condições dos produtores rurais na mesma simulação, bem como para produtores rurais individuais ao longo do tempo e em diferentes cenários e parametrizações.

Siga-nos nas redes sociais:    Instagram      Facebook      Twitter

  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter

Conexões Entre Água e Produção Rural: 

Sistemas Socio-Hidrológicos em uma Fronteira de Floresta Tropical

Uma colaboração entre:

© 2019 by Salisbury University. Proudly created with Wix.com |  Terms of Use  |   Privacy Policy